Notícias

Urologista realiza palestra sobre tumores da próstata na Bolívia


24/10/2017 às 12:39:00



O Dr. Igor Nunes Silva, urologista oncológico da Clínica Onco Hematos, é especialista em Cirurgia Robótica pelo L’Institut Mutualiste Montsouris da Universidade Paris-Descartes na França e em Laparoscopia Avançada pela Faculdade de Medicina do ABC em São Paulo. Nesta última semana proferiu palestras durante o XXXVICongresso da Confederação Americana de Urologia (CAU) na qualidade de professor internacional convidado do evento, o qual foi sediado na cidade de Santa Cruz de La Sierra na Bolívia, entre 17 e 21 de outubro 2017.

 

A Confederação Americana de Urologia (CAU) é a entidade internacional que congrega as Sociedades de Urologia dos principais países da América Latina incluindo Portugal e Espanha. O Dr. Igor Nunes-Silva foi um dos palestrantes representantes da Sociedade Brasileira de Urologia durante o evento e falou sobre a aplicabilidade da Cirurgia Urológica Minimamente Invasiva através das técnicas de Cirurgia Robótica e Laparoscopia Avançada no tratamento dos tumores da Próstata.

 

De acordo com o urologista, a cirurgia minimamente invasiva permite ao cirurgião realizar procedimentos cirúrgicos complexos através de pequenas incisões que variam de 0,5 a 1cm de extensão apenas, através das quais são inseridos aparelhos e pinças especiais para a realização da cirurgia. O número total de incisões depende do tipo da técnica cirúrgica e da tecnologia utilizada (Robótica ou Laparoscópica), podendo variar no total de 1 a 6 mini-incisões. O urologista destacou que para as cirurgias dos tumores da próstata, as técnicas cirúrgicas minimamente invasivas estão sendo muito utilizadas, pois trazem muitos benefícios para o paciente. “Quando o paciente é submetido à cirurgia minimamente invasiva, potencialmente ele apresenta menor perda sanguínea e consequentemente menor risco de transfusão de sangue; as pequenas cicatrizes das pequenas incisões refletem um melhor resultado estético, menor risco de infecção e menor dor no pós-operatório, o que consequentemente leva a uma recuperação mais rápida no pós-operatório com menor tempo de internação hospitalar e com retorno precoce às atividades diárias e ao trabalho, especialmente quando comparada com as cirurgias convencionais”, esclareceu.

 

Em relação à cirurgia robótica, o urologista explicou que esta é uma das ferramentas mais modernas aplicadas no tratamento cirúrgico do câncer da próstata. Nos Estados Unidos mais de 90% das cirurgias urológicas já são realizadas utilizando a plataforma robótica. “Apesar de ainda pouco utilizada no Norte-Nordeste do Brasil, a tecnologia robótica traz muitas vantagens. A evolução das técnicas cirúrgicas (Cirurgia Aberta - Laparoscopia Avançada - Cirurgia Robótica) foi gradativamente estabelecendo graus cada vez menores de invasão ao paciente e maiores em precisão operatória. As pequenas incisões permitem a passagem de câmeras de alta resolução de imagem (Full HD ou 4k) que geram imagens tridimensionais (3D) do campo operatório permitindo assim uma excelente visualização magnificada das estruturas anatômicas a serem operadas. Pinças multi-articuladas, especialmente desenhadas, permitem uma amplitude de movimentos muito maior do que a própria mão humana tem de alcance, permitindo assim realizar uma cirurgia com maiores graus de liberdade de movimentos e com mínima agressão ao paciente”, frisou.

 

“O urologista detém o total controle do robô, dos seus braços e pinças robóticas, controlando-os através de uma estação de trabalho à distância chamada ‘console’, onde estão instalados os ‘joysticks e pedais de comando’ de todas as funções do sistema robótico. Além de tudo, o sistema robótico ainda filtra os tremores naturais da mão humana do cirurgião, bloqueando dessa forma movimentos bruscos e permitindo apenas movimentos operatórios suaves e precisos”, enfatizou.