Notícias

Onco Hematos alerta para o Dia Mundial sem Tabaco


31/05/2018 às 07:36:00



Nesta quinta-feira, 31 de maio, é celebrado o Dia Mundial sem Tabaco, uma data para conscientizar a população sobre os riscos do tabagismo para a saúde. A clínica Onco Hematos faz uma alerta sobre as principais doenças que o tabaco pode causar principalmente para os principais tipos de câncer. O tema deste ano escolhido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio) e para o Dia Nacional de Combate ao Fumo (29 de agosto) é "Tabaco e Doença Cardíaca". O objetivo é aumentar a conscientização sobre o mais conhecido inimigo do pulmão, que também pode trazer doenças para o coração.

De acordo com o cardiologista da Onco Hematos, João Paulo Vieira, as doenças cardiovasculares (DCV), incluindo acidentes vasculares cerebrais, são as principais causas de morte do mundo. “O tabagismo tem grande impacto sobre a saúde cardiovascular, gerando um estado pró-inflamatório, que leva ao avanço da doença aterosclerótica e formação de placas obstrutivas nas artérias. Não faz diferença como o tabaco é consumido: cigarros, charutos, cachimbos e narguilés fazem mal à saúde”, explica.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) o tabaco mata mais de sete milhões de pessoas por ano, das quais cerca de 900 mil são não-fumantes que morrem por respirar o fumo passivo. De acordo com o cirurgião torácico da Onco Hematos, Fernando Coelho, o câncer de pulmão é o mais comum entre os fumantes. “A mortalidade pelo câncer do pulmão exibe uma relação inversa com a idade do início do tabagismo. Aqueles que começaram a fumar na adolescência têm maior risco de desenvolver a neoplasia do que aqueles que iniciaram com mais de 25 anos”, ressalta o cirurgião.   

“O papel esmagador do tabagismo como principal causa do câncer do pulmão vem sendo demonstrado exaustivamente nos últimos 60 anos. Cerca de 90% dos tumores do pulmão poderiam ser evitados simplesmente abandonando-se o fumo. Mais de 90% dos pacientes com câncer do pulmão são fumantes, incluindo aí aqueles não fumantes, mas expostos continuadamente à fumaça do tabaco – os fumantes passivos”, complementa Fernando Coelho.

As manifestações clínicas mais comuns são tosse, escarro com sangue (hemoptise), dispnéia (falta de ar) e sibilo (chiado no peito). A tosse, seca ou produtiva (com catarro), é o sintoma mais comum associado ao câncer do pulmão, presente em até 75% dos casos. 

Além do câncer de pulmão, o tabagismo também tem relação com os seguintes tipos de câncer: boca, língua, esôfago, estômago, rins e bexiga. Ainda segundo dados do Inca, Sergipe tem uma taxa estimada para este ano de 10,99 casos de neoplasia maligna na traqueia, brônquios e dos pulmões para cada 100 mil homens e 7,37 casos para cada 100 mil mulheres.

Ascom/Onco Hematos