Notícias

Cardiologista palestra sobre insuficiência cardíaca em pacientes oncológicos


21/03/2018 às 10:14:00



Foi realizada no auditório da clínica Onco Hematos uma palestra com o cardiologista da clínica, Dr. João Paulo Cerqueira, que abordou o tema “Quimioterapia x Insuficiência Cardíaca: uma abordagem racional”. O evento aconteceu na noite de quarta-feira, 15, e teve o objetivo de orientar a equipe multidisciplinar sobre as doenças cardíacas que podem surgir em pacientes oncológicos. 

De acordo com o cardiologista, a insuficiência cardíaca foi o principal ponto abordado porque pode ser mais comum em pacientes que realizam quimioterapia. “O paciente em vivência de quimioterapia pode haver cardiotoxicidade e se manifestar não só pela insuficiência cardíaca, mas também pelas arritmias. Outra abordagem da palestra foi no desenvolvimento da miocardiopatia, mostrando quais as estratégias que podemos utilizar, como prevenir e monitorar o paciente, buscando cada vez mais atuar prevenindo lesões mais severas para o paciente”, enfatizou.

O cardiologista explicou que existem vários fatores de riscos para um paciente oncológico chegar a possuir uma insuficiência cardíaca. “O paciente oncológico em si já é um paciente de elevado risco de doença cardíaca. A própria quimioterapia eleva também a possibilidade do paciente desenvolver alguma doença, mas também há outras comorbidades associadas como diabetes, disfunção renal, histórico de tabagismo prévio ou atual, histórico de doenças cardíacas na família ou cardiopatias já vigente no paciente. Essas e outras situações aumentam os riscos do paciente evoluir para uma piora durante o tratamento oncológico”, esclareceu.

Dr. João Paulo ainda afirmou que é necessário conhecer o paciente e seu histórico para saber o que pode gerar uma doença cardíaca. “Primeiramente nós fazemos uma avaliação do perfil de risco do paciente, de acordo com determinadas comorbidades, com histórico prévio do paciente e histórico familiar. Se é um paciente que tem um risco mais elevado de desenvolver uma miocardiopatia é um paciente que seguramente vai precisar de uma avaliação cardiológica para que se faça toda a programação de tratamento. Em qualquer momento que tenha alguma alteração estrutural no coração a gente pode estar decidindo em conjunto com o oncologista até quando continuar ou regredir na terapia oncológica deste paciente em detrimento de alguma lesão miocárdica que possa estar acontecendo”. 

Segundo o oncologista Dr. Miguel Tenório, a palestra foi de grande importância para que todos os profissionais tenham mais conhecimento e se atualizem sobre as diversas especialidades. “A educação continuada deve ser um parâmetro de todas as áreas e nós que trabalhamos na área da saúde, precisamos estar sempre se atualizando por conta das novas pesquisas que vem surgindo. Essas palestras trazem outros especialistas para a clínica e conseguimos entender como uma especialidade pode ajudar a outra sempre em prol dos nossos pacientes. Este assunto da cardiologia é de extrema importância porque é preciso saber vigiar e antecipar que o paciente tenha uma toxidade por conta do tratamento”, disse.